As instituições mundiais já estão a utilizar a grafia Cabo Verde, sem tradução.

Numa extensa reportagem com a data de 10 de Fevereiro, o Boston Globe explica que os anglófonos escreviam "Cape Verde", os filandeses, suecos e germânicos "Kap Verde" e a Itália "Capo Verde", o que criava dificuldades, por exemplo, para o envio de um simples telegrama diplomático e para a elaboração de um guia turístico.